Publicado por: Andrea Nunes | 20/01/2010

Como definir uma feira?

Engraçado, sonhei que estava tentando definir a alguém onde as feiras se encaixariam dentro do “P” do “promotion” dos nossos amigos 4 Ps do marketing.

Mesmo após alguns anos trabalhando na organização de feiras de negócios, eu nunca tinha realmente parado para classificá-las marqueteiramente falando.

Certa vez, um ex-presidente de uma das promotoras brasileiras, um homem muito conceituado na história da propaganda do nosso país, definiu feira como mídia. Bom, em feira, se compra um espaço para a divulgação da sua marca e de seus produtos, do mesmo jeito que se compra um “espaço” na televisão, no rádio, em jornais e revistas, certo? Ok, então o conceito se encaixa bem, visto por este ângulo.

Mas será que, quando participamos de uma feira, não estamos fazendo bem mais que adquirindo um espaço para publicidade?

Pense bem, quando fazemos um anúncio na TV, mesmo que seja no intervalo do programa de arqueologia no Egito do Discovery Channel, ou seja, super segmentado para atrair o público interessado no assunto, a mensagem pode se perder. Seja porque aquele importante consumidor da sua marca foi ao banheiro, trocou de canal ou simplesmente não está assistindo televisão naquele dia. Além disso, a sua mensagem vai chegar a muitos telespectadores que não se interessam pelo seu produto e por isso não fazem parte de seu público alvo.

E isso acontece com anúncios em revistas, jornais, rádio e internet. A mensagem se perde, se dissolve em meio a tantos outros estímulos do mundo.

Enquanto isso, quando você coloca em um pavilhão empresas e seus consumidores, que estão lá por um único motivo, fazer negócios, nós temos aí a junção de vários tipos de “promotion”: propaganda (catálogos, banners, flyers, brochuras); promoção de vendas (concursos, demonstrações, programas de fidelização); relações públicas (contato com imprensa; seminários, patrocínios) e vendas pessoais.

 Não estou dizendo que as outras ferramentas de comunicação são inferiores à feira, ou que devem ser trocadas pela experiência de participar de uma feira. O ideal é que uma combinação de ferramentas componha seu plano de comunicação. Desde um anúncio para o seu consumidor final até participar de uma feira onde ele estará. As peças fazem mais sentido como parte de um todo e os resultados de marca e vendas que sua empresa terá será maiores. Kotler cansou de falar isso no capítulo 19 ou 20 do tão estudado “Administração de Marketing”, que hoje calça uma perna da minha mesa de jantar.

 Mas o meu ponto de vista é que a feira não pode ser classificada como mídia e ponto. Também não cheguei à conclusão nenhuma sobre sua classificação depois de decorrer o assunto em todas as linhas anteriores. Mas, antes que eu frustre alguém em busca de uma resposta, podemos concordar em dizer que feira é uma combinação de diversas ferramentas de comunicação que vem para complementar o plano de marketing das empresas. Que tal? Sugestões são bem vindas.

Sou Andréa Nunes, escreverei toda quarta-feira sobre estratégias melhorar a performance das empresas em feiras e eventos. Bem vindos ao Além do Show.

Anúncios

Responses

  1. Parabéns, Dea.
    Excelente texto.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: